KINEMANDARA

k matadouro

 

Matadouro, 1975

Matadouro (1975) – alegoria da violência humana, reflexão sobre a Inocência dos animais da terra – é o primeiro dos cinco filmes KinemAndara* que o escritor Vicente Franz Cecim criou no anos 70, ainda em película, com super-8, na Amazônia, Brasil, antes de dar início a sua obra literária, reunida sob o título abrangente Viagem a Andara oO livro invisível, no início dos anos 80. Os outros são Permanência (1976), Sombras (1977), Malditos mendigos (1978) e Rumores (1979). Antecipando, no Cinema, sua futura criação solitária na Literatura, o próprio escritor filmou, sonorizou e editou os filmes – e após 30 anos devotados apenas a escrever os livros visíveis de Andara, só voltaria a filmar em 2009, quando realizou, já com câmera digital, os filmes A Lua é o Sol e Fonte dos que dormem. Música do sangue das estrelas (2012) e K+afka (2012) são seus filmes mais recentes. * VEJA os filmes KinemAndara aqui no Vimeo

Permanência, 1976

Permanência (1976) – busca afetiva e mística de uma Presença, que se confirma em toda parte em sua própria Ausência – mas é um filme sobre a Plenitude, o oposto de Rumores, pois aqui há Ninguém para a Solidão – foi o segundo filme KinemAndara* criado nos anos 70 pelo escritor Vicente Franz Cecim, ainda em película, com super-8, na Amazônia, Brasil, antes de dar início a sua obra literária, reunida sob o título abrangente Viagem a Andara oO livro invisível, no início dos anos 80. Os outros são Matadouro (1975), Sombras (1977), Malditos mendigos (1978) e Rumores. Antecipando, no Cinema, sua futura criação solitária na Literatura, o próprio escritor filmou, sonorizou e editou os filmes – e após 30 anos devotados apenas a escrever os livros visíveis de Andara, só voltaria a filmar em 2009, quando realizou, já com câmera digital, os filmes A Lua é o Sol e Fonte dos que dormem. Música do sangue das estrelas (2012) e K+afka (2012) são os seus filmes mais recentes. * VEJA os filmes KinemAndara aqui no Vimeo.

 

Sombras, 1977

Sombras (1977) – parábola sobre o exílio da velhice, reflexão sobre o Tempo e a solidão nos asilos – é um dos cinco filmes KinemAndara* que o escritor Vicente Franz Cecim criou no anos 70, ainda em película, com super-8, na Amazônia, Brasil, antes de dar início a sua obra literária, reunida sob o título abrangente Viagem a Andara oO livro invisível, no início dos anos 80. Os outros são Matadouro (1975), Permanência (1976), Malditos mendigos (1978) e Rumores (1979). Antecipando, no Cinema, sua futura criação solitária na Literatura, o próprio escritor filmou, sonorizou e editou os filmes – e após 30 anos devotados apenas a escrever os livros visíveis de Andara, só voltaria a filmar em 2009, quando realizou, já com câmera digital, os filmes A Lua é o Sol e Fonte dos que dormem. Música do sangue das estrelas (2012) é o seu filme mais recente. * VEJA os filmes KinemAndara aqui no Vimeo.

Malditos Mendigos, 1978

Malditos mendigos (1978) – uma parábola sobre os desprezados da Terra, que vai além da denúncia da injustiça social e reflete sobre a indiferença ontológica – é um dos cinco filmes KinemAndara* que o escritor Vicente Franz Cecim criou no anos 70, ainda em película, com super-8, na Amazônia, Brasil, antes de dar início a sua obra literária, reunida sob o título abrangente Viagem a Andara oO livro invisível, no início dos anos 80. Os outros são Matadouro (1975), Permanência (1976), Sombras (1977) e Rumores (1979). Antecipando, no Cinema, sua futura criação solitária na Literatura, o próprio escritor filmou, sonorizou e editou os filmes – e após 30 anos devotados apenas a escrever os livros visíveis de Andara, só voltaria a filmar em 2009, quando realizou, já com câmera digital, os filmes A Lua é o Sol e Fonte dos que dormem. Música do sangue das estrelas (2012) é o seu filme mais recente. * VEJA os filmes KinemAndara aqui no Vimeo.

Rumores, 1979

Rumores (1979) – um ensaio sobre a Solidão, o Outro e a convivência com o Si Mesmo – foi o filme que encerrou a primeira época, nos anos 70, dos filmes KinemAndara* que o escritor Vicente Franz Cecim criou, ainda em película, com super-8, na Amazônia, Brasil, antes de dar início a sua obra literária, reunida sob o título abrangente Viagem a Andara oO livro invisível, no início dos anos 80. O filme assimilou imagens de Limite, de Mário Peixoto, e de O Evangelho Segundo Mateus, de Pier Paolo Pasolini. Os outros são Matadouro (1975), Permanência (1976), Sombras (1977) e Malditos mendigos (1978). Antecipando, no Cinema, sua futura criação solitária na Literatura, o próprio escritor filmou, sonorizou e editou os filmes – e após 30 anos devotados apenas a escrever os livros visíveis de Andara, só voltaria a filmar em 2009, quando realizou, já com câmera digital, os filmes A Lua é o Sol e Fonte dos que dormem. Música do sangue das estrelas (2012) é K+afka (2012) são seus filmes mais recentes.

Fonte: VIMEO do autor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s